TV Jaguá News

Postado em 06/01/2024 às 14:00:00

compartilhar

O corte dos eucaliptos no Bandeirão em Limoeiro do Norte: Necessidade ou irregularidade ambiental?

O corte dos eucaliptos no Bandeirão em Limoeiro do Norte: Necessidade ou irregularidade ambiental?

O Estádio Municipal José de Oliveira Bandeira, conhecido como Bandeirão, é uma peça central na história esportiva de Limoeiro do Norte, Ceará, desde sua inauguração em 1987. No entanto, uma sombra paira sobre esse ícone esportivo: a recente decisão de cortar os eucaliptos que adornam uma das traves do estádio.

Construído há 37 anos pelo então prefeito José de Oliveira Bandeira, o estádio foi projetado não apenas para ser uma arena esportiva, mas também como um local que incorpora preocupações ambientais. A presença dos eucaliptos, segundo relatos populares, tinha um propósito duplo: amortecer as bolas lançadas e contribuir para a arborização do ambiente, essencial em uma região constantemente castigada pelo calor jaguaribano.

A atenção do prefeito "Careca" (In Memoriam) à natureza não se limitou aos eucaliptos no Bandeirão. Ao longo de sua gestão, foram plantadas 10 mil mudas de árvores em Limoeiro do Norte, evidenciando sua preocupação ambiental e seu cuidado com o meio ambiente local.

No entanto, a controvérsia surge agora, em 2024, com o corte dos mencionados eucaliptos. A pergunta que ecoa nas mentes dos moradores é: Por que foi necessária a remoção dessas árvores, que eram parte integrante da paisagem do estádio por quase quatro décadas?

É inevitável questionar se havia alternativas para beneficiar o estádio municipal sem a necessidade de sacrificar os eucaliptos. Afinal, não seria possível encontrar soluções que preservassem tanto o ambiente quanto a estrutura do Bandeirão?

A questão ambiental também entra em cena. Em um momento em que o mundo enfrenta desafios significativos relacionados ao aquecimento global, cortar árvores, especialmente em um local onde foram inicialmente plantadas com considerações ambientais, suscita preocupações legítimas. O relatório da Organização Meteorológica Mundial (OMM) apontou um aumento médio de 1,4ºC em 2023, indicando a urgência de práticas mais sustentáveis em todas as áreas da vida.

Portanto, cabe à comunidade e às autoridades locais esclarecer se o corte dos eucaliptos foi uma decisão necessária e bem fundamentada, ou se representa uma irregularidade ambiental em um momento crucial para a preservação do meio ambiente global. O Bandeirão, que por tanto tempo foi palco de triunfos esportivos, agora se torna o cenário de uma discussão crítica sobre o equilíbrio entre desenvolvimento local e responsabilidade ambiental.

 

 

Fonte: TV Jaguá News

Comentários 0

Para comentar o internauta precisa está cadastrado e logado.

LOGAR CADASTRAR

“Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.”

Veja também